where the writers are
Há flores no jardim
Spain

De repente, do amor se faz o ódio.

Da liberdade trêmula no alto do poder,

Faz-se um grito surdo no fundo d'alma.

Corações aflitos a esmorecer.

A grande potência a perder a calma,

Lançando mísseis, lançando a sorte.

Milhares de seres, pétalas partidas,

Sonhos à deriva em um mar de sangue.

Podridão.

Olhos fulminantes dilaceram corações apertados,

Sufocados em dores: dissabores da vida moderna,

Que dá e tira, fazendo do ser humano um boneco de pano,

Inanimado,

Corado de vergonha de não poder se impor,

De ter que se humilhar diante do opressor.

Comments
1 Comment count
Comment Bubble Tip

Jaqueline J. Lage

Jaqueline J. Lage